quinta-feira, 20 de setembro de 2012

UMA CASA TIPICAMENTE CEARAMIRINENSE. NELA, O MAIOR ESCRITOR VIVO DO VALE VERDE - FRANKLIN JORGE.

FRANKLIN JORGE VEM COBRANDO ESSE CAFÉ JÁ HÁ ALGUM TEMPO. HOJE ACONTECEU E FOI UMA TARDE INTEIRA SÓ DE AMENIDADES, ENTRE PAREDES CHEIAS DE TELAS, ESPAÇOS BEM OCUPADOS, ESTANTES, LIVROS, JORNAIS E OS TRÊS GATINHOS QUE ELE TANTO AMA!
NUBILENE E EU CHEGAMOS, PONTUALMENTE, ÀS 17 HORAS. NA MESA APENAS A TOALHA, ELE VAI CONVERSANDO E ARRUMANDO TUDO NA HORA MESMO. ÀS 18 HORAS A MESA ESTAVA PRONTA: BOLO, GULOSEIMAS DE VÁRIAS QUALIDADES PÃO, MANTEIGA...TUDO COMO O SEU HABITUÉ!!!
UMA CONVERSA ÓTIMA, VIAJANDO POR CEARÁ-MIRIM, FALANDO SOBRE MADALENA E JUVENAL ANTUNES, SOBRE O VALE DO AÇU ONDE A TERRA É FÉRTIL E ATÉ JÁ DEU FRUTAS MARAVILHOSAS COMO UVAS, MORANGOS, FIGOS...
E COMO NÃO PODIA FALTAR, LEMBRANDO DA
 QUERIDA MARIA EUGÊNIA MONTENEGRO.
ENTRE UM ASSUNTO E OUTRO, FALANDO EM DRUMMOND, RACHEL DE QUEIROZ OU NA BAHIA DE SÃO SALVADOR, ONDE FRANKLIN TEVE SEU GRANDE AMIGO JORGE AMADO!
  
OS BICHANOS PARTICIPAVAM DOS NOSSOS MOMENTOS. NUM CANTINHO, RECIPIENTES COM RAÇÃO E ÁGUA. TÃO LINDOS, NÃO LEMBRO SEUS NOMES, MAS DO OLHAR AMOROSO DE FRANKLIN OU DO SORRISO QUANDO UM DELES SE ENROSCAVA EM
NOSSAS PERNAS!
SOBRE O ARMÁRIO DA COZINHA, COISAS TRIVIAIS E BEM NECESSÁRIAS:  ESSA POESIA:
A CUMBUCA COM JERIMUM, CEBOLAS, MACACHEIRA, A OUTRA, COM LINDOS MARACUJÁS. 
.
MARAVILHOSAS TELAS ADORNAVAM AS PAREDES, SEM FALAR DA LINDA E ANTIGA CRISTALEIRA, COM VIDRO FRANCÊS, GUARDANDO COPOS FINOS E XÍCARAS DE PORCELANA INGLESA. COISAS LINDAS QUE TIVEMOS EM NOSSAS CASAS DE CEARÁ-MIRIM.
 
TELAS DE MUITO BOM GOSTO E OS ASSUNTOS NÃO PARAVAM, INCLUSIVE, SOBRE UMA QUESTÃO JURÍDICA. FOI QUANDO FRANKLIN FALOU NO DR. LEONARDO PALITOT, ELOGIANDO A SUA COMPETÊNCIA PROFISSIONAL.
NESSA PARTE DA CASA, QUE PODERIA SER UMA GARAGEM, FRANKLIN TRANSFORMOU
NUMA ÁREA COM SUAS TELAS E OUTRAS COISAS.
E POR SERMOS DE CEARÁ-MIRIM, FRANKLIN E EU, TINHA QUE HAVER UMA LARANJEIRA EM FLOR - A POESIA QUE FOTOGRAFAMOS AO ANOITECER, ONDE, AO PÉ, ALGUMA CIGARRA ENVAIDECIDA INICIAVA O SEU CANTO.
SÓ TEMOS A AGRADECER, NUBILENE E EU, PELO DELICIOSO CAFÉ: OS TARECOS, AS RAIVINHAS, OS BISCOITINHOS, AS BOLACHAS, O BOLO DELICIOSO E O CAFÉ, COM AQUELE CHEIRO COMO QUE MOÍDO EM CASA, NUM VELHO PILÃO! O CHEIRO QUE NOS LEVOU A PASSEAR PELO VALE VERDE, SENTINDO A BRISA FRESCADA HORA E PRENUNCIANDO O APITO DO TREM NAQUELA ESTAÇÃO DE POESIA!

Um comentário:

  1. Maravilha,,, recordei minha infâncias em cazarões assemelhados...Beijos

    ResponderExcluir